Câncer de mama – Você está bem informada?

mamaDentre todos os outros sítios, o câncer de mama é o segundo câncer mais frequente no mundo e o mais comum na mulher. Atrás somente do câncer de pele não-melanoma, os tumores malignos da mama têm importância não só em incidência, como também em mortalidade. O INCA – Instituto Nacional do Câncer – no Rio de Janeiro, é o órgão responsável pela estatística de todos os cânceres no Brasil. Serão 52.680 novos casos em 2012 no nosso país. Só no Espírito Santo serão aproximadamente 900 casos. Este número não leva em conta os casos já existentes, que estejam em tratamento ou aquelas mulheres que já morreram pela doença. No homem a incidência chega a 10% dos casos femininos e o diagnóstico por vezes é mais tardio, já que é cultural o homem procurar menos o médico quando algo está errado.

Como não há prevenção primária para este tipo de doença, ou seja, não há uma forma preventiva eficaz, o melhor a fazer é a detecção precoce. Mesmo havendo inúmeras campanhas na mídia sobre os exames realizados para diagnóstico do câncer, ainda existe muita resistência por parte de algumas mulheres em realizar, por exemplo, a mamografia.

Esta é apenas uma imagem radiográfica da mama, produzida através de um simples procedimento de raios-X. Pode revelar anomalias, tanto benignas quanto malignas, até dois anos antes de serem percebidas através da palpação, tornando-as geralmente mais fáceis de serem tratadas, com maior possibilidade de êxito.

O CBR – Colégio Brasileiro de Radiologia – recomenda que mulheres, a partir de 40 anos de idade, façam mamografia uma vez por ano. Dependendo dos fatores de risco (fumantes, história familiar de câncer no seio), o médico pode recomendar uma programação diferente.

Uma técnica treinada em mamografia realiza o teste com equipamento de raios-X, especialmente projetado para isso. Um médico especializado e habilitado interpreta a mamografia para você e para seu médico. O exame completo geralmente leva 15 minutos. Normalmente, a técnica tirará duas ou mais radiografias de cada mama depois que a mesma tenha sido ligeiramente comprimida até ficar com a espessura mais uniforme. Essa compressão proporciona uma mamografia clara e detalhada, reduzindo a quantidade de exposição aos raios-X. Podem pedir-lhe que espere enquanto a técnica em radiologia revisa suas mamografias, apenas para garantir que exposições adicionais não sejam necessárias. O procedimento produzirá uma sensação de pressão ou constrição por apenas alguns segundos. Se sentir desconforto, informe à técnica. Para minimizar essa possibilidade, tente marcar sua mamografia logo após sua menstruação, quando o desconforto das mamas é menor. Evite também consumir cafeína em excesso (por exemplo, café, chá, chocolate, refrigerantes tipo “cola”) por uma ou duas semanas antes do exame.

A mamografia é a maneira mais avançada, eficaz e precisa de detectar  o câncer de mama em um estágio inicial. Como resultado, a mamografia salva vidas. Entretanto, como uma pequena porcentagem do câncer pode não ser identificada somente com a mamografia, você deve também realizar o autoexame das mamas mensalmente e, consultar seu médico regularmente para que ele realize o exame clínico das mamas.

INSTRUÇÕES GERAIS RECOMENDADAS PELO COLÉGIO BRASILEIRO DE RADIOLOGIA:

*Faça mamografia de rotina: Todos os anos, a partir dos 40 anos de idade;

*Comece a fazer o autoexame nas mamas a partir dos 20 anos de idade;

*Solicite um exame clínico ao seu médico: A cada três anos, dos 20 aos 39 anos de idade; todos os anos, a partir dos 40 anos de idade.

COMPARTILHAR